Home » Notícias » Salvador » “Temos opções melhores”, diz Alden sobre escolha por novo secretário da SSP
- Atualizado em 13/01/21 às 10h00

“Temos opções melhores”, diz Alden sobre escolha por novo secretário da SSP

Deputado criticou decisão do Governo e afirmou que não há valorização da ‘prata da casa’

Foto: Varela Notícias

Anderson Ramos e Sanny Santana
redacao@varelanoticias.com.br

O policial militar e deputado estadual da Bahia, Capitão Alden, marcou presença em cerimônia de troca de comando da Polícia Militar nesta quarta-feira (13) e não escondeu sua verdadeira opinião sobre a escolha do novo secretário da Segurança Pública da Bahia, o juiz Ricardo Mandarino.

Para o militar, o Governo do Estado não valoriza os profissionais baianos da segurança pública e Mandarino não é a melhor opção para comandar a SSP. “Infelizmente, a gente tem a péssima cultura, especialmente na Bahia, de não escolher a ‘prata da casa’. Nós temos outros nomes, outras opções melhores aqui no estado, tanto delegados da Polícia Civil quanto coronéis da Polícia Militar”, disse.

Alden também alfinetou a decisão de se escolher um juiz para a frente da SSP afirmando que o Governo “acha que por ter apenas o conhecimento jurídico, ele [Mandarino] é a pessoa adequada para assumir a pasta da segurança pública, só que segurança pública requer uma análise muito mais abrangente, muito mais ampla”.

Apesar das críticas, o deputado garantiu estar disposto para ajudar Mandarino e sua equipe. Segundo ele, uma audiência com o novo secretário já foi marcada para “externar algumas ocupações, sugerir condutas” e tratar de “planejamento estratégico de política de segurança”.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Sobre a escolha do novo comandante da Polícia Militar, Coronel Paulo Coutinho, que substitui o Coronel Anselmo Brandão após a saída do ex-secretário de Segurança Pública Maurício Barbosa, Alden fez elogios à escolha, julgando ser a “melhor escolha”.

“Ele é uma pessoa extremamente técnica, é dito pela tropa que ele é ‘caxias’, ele cobra regulamento, disciplina, não tem tolerância com criminosos, principalmente criminosos fardados, travestidos de policiais. Ele tem esse perfil. A tropa hoje é muito diferente de 19 anos atrás, quando eu entrei. Muita gente entrou na polícia e se utiliza da farda para cometer crimes, então, pela conduta moral, ética e disciplinadora do Coronel Coutinho, tende a haver um combate muito mais ferrenho a esses policiais (…) Eu tenho certeza absoluta que ele vai, primeiramente, cuidar da casa”, concluiu Capitão Alden.

O deputado ainda revelou estar transitando no Congresso Nacional um Projeto de Lei para que haja a possibilidade de lista tríplice para a escolha de comandantes gerais, chefes da Polícia Civil e comandos dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil”.



COMENTÁRIOS
RELACIONADAS