Home » Notícias » Brasil » Nordeste: Cientistas sugerem lockdown em cidades com 80% de leitos ocupados
- Atualizado em 22/12/20 às 18h53

Nordeste: Cientistas sugerem lockdown em cidades com 80% de leitos ocupados

Outras medidas recomendadas são a proibição formal de todo e qualquer evento comemorativo de festas natalinas e de final de ano que causem aglomeração

(Foto: Jefferson Peixoto / Secom)

Redação VN
redacao@varelanoticias.com

O Comitê Científico do Consórcio Nordeste voltou a propor lockdown em algumas cidades da região. No boletim mais recente no grupo formado por especialistas, uma das sugestões é de que as cidades com mais de 80% de ocupação de leitos decretem a medida de isolamento rígido de circulação de pessoas. 

Para reduzir de forma drástica o número de novos casos e para evitar o colapso hospitalar, o documento sugere que a restrição seja implementada por pelo menos 14 dias.

Além disso, o novo boletim traz uma série de recomendações para impedir o avanço da segunda onda de Covid-19. No documento, os técnicos do grupo também se debruçam sobre a questão da compra e distribuição de vacinas contra a doença para a população.

Os técnicos destacam que entre julho e agosto, períodos em que “lockdowns” foram implementados com sucesso em vários estados nordestinos, na maioria dos casos observou-se uma redução significativa dos valores de transmissão. 

E consequentemente, houve redução do número de infectados e queda no número de óbitos.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Outras medidas 

Outras medidas recomendadas são a proibição formal de todo e qualquer evento comemorativo de festas natalinas e de final  de ano que causem aglomeração de pessoas; o fechamento de todas as praias, parques e outros espaços que possam gerar  aglomerações populares durante as festas natalinas e de final e ano; obrigatoriedade do uso de máscaras em parques, pistas e calçadões em praias para  caminhadas e exercícios físicos, com distância mínima de 2 metros entre pessoas de famílias  diferentes; e ainda promover articulações com associações comerciais e empresariais para definir um  escalonamento dos horários de atividades de modo a reduzir a pressão de passageiros no transporte público.

O Comitê ainda sugere limitar a lotação dos veículos de transporte público, obrigando o uso de máscaras por todos passageiros e funcionários, e fiscalizar o cumprimento das normas nos terminais  de maior movimento; comércio em feiras ao ar livre e lojas de ruas, com limitação de pessoas nas lojas,  obrigatoriedade do uso de máscaras e uso de álcool em gel; serviços médicos, odontológicos e veterinários com agendamento de um paciente por vez; serviços de escritórios de advocacia, contabilidade e outros, com agendamento de um  cliente por vez. 

Os shoppings também estão na lista de recomendações. De acordo com os especialistas do comitê, o ideal é que as lojas desses estabelecimentos operem com limitação de pessoas,  obrigatoriedade do uso de máscaras, uso de álcool em gel e ampliação dos horários de atendimento.

A lista ainda inclui a sugestão para que eventos esportivos em estádios abertos ocorram apenas sem a presença de  torcedores, como já ocorre na Bahia; fechamento de academias de ginástica, ou limitação do número clientes, dependendo da situação local; museus, cinemas e teatros com assistência reduzida e obrigatoriedade do uso de  máscaras; e por fim que cultos em templos religiosos com assistência reduzida e obrigatoriedade do uso de máscaras. 



COMENTÁRIOS
RELACIONADAS
-->

-->