Home » Política » No melhor cenário serão R$ 80 milhões, diz ACM Neto sobre auxílio para empresas de transporte
- Atualizado em 19/11/20 às 13h10

No melhor cenário serão R$ 80 milhões, diz ACM Neto sobre auxílio para empresas de transporte

Senado aprovou projeto que destina R$ 4 bilhões a estados e municípios para ajudar o setor

ônibus/transporte público
Foto: Brenner Menezes/Varela Notícias

Anderson Ramos
redacao@varelanoticias.com.br

O prefeito ACM Neto comentou na manhã desta quinta-feira (19), a aprovaçao no Senado do Projeto de Lei que destina R$ 4 bilhões para estados e municípios auxiliarem empresas de transporte coletivo que operam com ônibus, trem e metrô.

“Estamos fazendo conta, não quero dar uma resposta imprecisa. O fato é que na pandemia a Prefeitura teve que colocar R$ 105 milhões para o transporte público não parar. Será impossível recuperar todo esse dinheiro. No melhor cenário a gente vai receber cerca de R$ 80 milhões, mas as contas ainda estão sendo feitas e temos que aguardar”, adiantou o gestor.

A medida, que agora espera a sanção presidencial, destina 70% do valor para os municípios de maneira proporcional à população. Os 30% restantes vão para os estados e o Distrito Federal, também de forma proporcional ao número de moradores de cidades com mais de 200 mil habitantes.

Na ocasião o prefeito também voltou a criticar o sistema de transporte público. Ele disse que não tem ninguém satisfeito com a atual situação, seja a prefeitura, os empresários do setor e muito menos quem depende dos coletivos para se locomover.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“É impressionante porque todo mundo está insatisfeito. A Prefeitura insatisfeita porque o serviço não tem a qualidade que ela desejaria e acaba sendo pressionada, cobrada e criticada. O empresário insatisfeito porque está operando  no vermelho e empresas quebradas ou com uma enorme dificuldade de fechar as contas. O cidadão insatisfeito porque falta ônibus em algumas áreas, porque tem ônibus quebrando, atrasando. Não tem ninguém feliz com essa história”, afirmou.

Ele também apontou que a resolução do problema passa por Brasília. “O modelo está falido. Qual o caminho já que as prefeituras tem uma capacidade limitada de suportar a demanda, de colocar dinheiro ? Tem que ser federal. O Governo Federal tem que entrar nisso, o Congresso Federal tem que entrar nisso, tem que ter uma linha específica de financiamento do transporte público”, analisou.

Neto também garantiu que no ano que vem, após a sua saída da chefia executivo soteropolitano, vai articular um diálogo na tentativa de buscar uma solução definitiva para o problema no país.

Tópicos: , ,
Link:


COMENTÁRIOS
RELACIONADAS