Home » Notícias » Polícia » José Genoino é o primeiro condenado do mensalão a receber ordem de prisão
- Atualizado em 16/11/13 às 10h27

José Genoino é o primeiro condenado do mensalão a receber ordem de prisão

O STF expediu doze mandados, porém a lista completa de condenados ainda não foi divulgada

Henrique Brinco e Cristian Reis
redacao@varelanoticias.com.br

Foto: Reprodução/Transparência Política

Foto: Reprodução/Transparência Política

José Genoino, ex-presidente do PT, foi o primeiro condenado do processo do mensalão a receber ordem de prisão do STF.  Ele se entregou por volta de 18h20 desta sexta-feira (15). Houve empurra-empurra de fotógrafos, mas sem incidentes. Doze mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal.

Genoino entrou na superintendência da PF em São Paulo pela porta da frente, acompanhado da mulher e do advogado. “Viva Genoino”, gritavam diversos amigos e militantes do PT estavam em frente ao prédio e gritaram mensagem de apoio ao petista. Em resposta, Genoino também gritou: “Viva o PT”.

O ex-ministro José Dirceu está na lista dos que terão que cumprir a pena. De acordo com relatos, há a movimentação de que alguns dos réus irão se entregar e a Polícia Federal deverá cumprir todos os mandados ainda hoje. As penas serão cumpridas em Brasília, porém nenhuma informação a respeito de quando serão transferidos foi divulgada.

Todos os presos deverão ser transferidos para Brasília, mas poderão pedir para cumprir a pena nas cidades onde moram. A lista com o nome dos presos ainda não foi divulgada pelo STF.

Leia nota assinada pelo presidente do PT, Rui Falcão, sobre as decisões do STF:

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“A determinação do STF para a execução imediata das penas de companheiros condenados na Ação Penal 470, antes mesmo que seus recursos (embargos infringentes) tenham sido julgados, constitui casuísmo jurídico e fere o princípio da ampla defesa.

Embora caiba aos companheiros acatar a decisão, o PT reafirma a posição anteriormente manifestada em nota da Comissão Executiva Nacional, em novembro de 2012, que considerou o julgamento injusto, nitidamente político, e alheio a provas dos autos. Com a mesma postura equilibrada e serena do momento do início do julgamento, o PT reitera sua convicção de que nenhum de nossos filiados comprou votos no Congresso Nacional, nem tampouco houve pagamento de mesada a parlamentares. Reafirmamos, também, que não houve da parte dos petistas condenados, utilização de recursos públicos, nem apropriação privada e pessoal para enriquecimento.

Expressamos novamente nossa solidariedade aos companheiros injustiçados e conclamamos nossa militância a mobilizar-se contra as tentativas de criminalização do PT.

Rui Falcão
Presidente Nacional do PT”



COMENTÁRIOS
RELACIONADAS