Home » Política » Faz campanha antivacina para que poucas pessoas se imunizem, diz Mandetta sobre Bolsonaro
- Atualizado em 08/01/21 às 09h43

Faz campanha antivacina para que poucas pessoas se imunizem, diz Mandetta sobre Bolsonaro

Ex-ministro da Saúde teceu duras contra críticas contra atuação do governo no combate à pandemia

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Redação VN
redacao@varelanoticias.com.br

O ex-ministro da Sáude Luiz Henrique Mandetta (DEM) teceu duras críticas a atuação do governo Jair Bolsonaro (sem partido) no combate a pandemia da Covid-19. Em entrevista para o Radar Econômico, da revista Veja, Mandetta disse que as falas do presidente minimizando a gravidade da doença seriam uma forma de encobrir a falta de planejamento na compra de seringas e agulhas para a vacinação.

“Ele faz uma campanha antivacina para que um número baixo de pessoas se imunize, porque ele não se preparou e não trabalhou. Ele espera que a população não se vacine porque não consegue dar uma resposta em relação às vacinas e logística caso a população amanheça na frente dos postos de saúde e falte doses”, analisou.

 “Essa questão é tão rudimentar, tão básica, que qualquer líder de grêmio estudantil da quarta série primária compraria agulhas e seringas”, completou.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

A gestão do atual titular da pasta, Eduardo Pazuello, também foi alvo de reclamações de Mandetta. Para ele Pazuello, um membro das Forças Armadas não deveria ter sido indicado para comandar o ministério.

“Ficamos por último na vacinação. A raiz disso tudo é nomear um militar para um ministério técnico. Se dermos um jato a um médico, cai o avião. O Ministério da Saúde está sob intervenção militar. O general não sabe sobre medicina, sabe cumprir ordens absurdas, como aquelas envolvendo a cloroquina”.



COMENTÁRIOS
RELACIONADAS
-->

-->